Astrônomos fazem melhor detecção de ondas gravitacionais até agora

Dados preliminares da quarta detecção da história sugerem que Einstein está cada vez mais certo

Pela primeira vez na história, astrônomos anunciaram a detecção de ondas gravitacionais usando não apenas dois, mas três detectores — o que torna os dados muito mais precisos.

As novas ondas gravitacionais foram formadas pela colisão de dois buracos negros localizados a 1,8 bilhão de anos-luz da Via-Láctea. Com cerca de 25 e 31 vezes a massa do Sol, ao se fundirem, os corpos formaram um novo buraco negro com cerca de 53 vezes a massa do nosso astro.

As novas ondas gravitacionais foram formadas pela colisão de dois buracos negros localizados a 1,8 bilhão de anos-luz da Via-Láctea. Com cerca de 25 e 31 vezes a massa do Sol, ao se fundirem, os corpos formaram um novo buraco negro com cerca de 53 vezes a massa do nosso astro.

Dessa vez, além dos detectores do Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferômetro Laser (LIGO, em inglês), que ficam nos estados americanos de Louisiania e Washington, os cientistas contaram com dados do detector italiano Virgo.

Até hoje, os cientistas haviam conseguido fazer três detecções de ondas gravitacionais. Todas vindas da fusão de buracos negros. Duas das detecções foram feitas através do LIGO; e uma, do Virgo.

 

Veja a íntegra no site da Galileu

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.