Acre registra crescimento em exportações, aponta Fórum do Desenvolvimento

Mais uma boa notícia para a economia acreana. Depois de ser divulgado pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN), na última semana, que o Acre é um dos dez estados a registrar superávit, dados publicados no Observatório do Fórum Permanente de Desenvolvimento do Acre apontam que, em abril deste ano, o saldo positivo da balança comercial foi de US$ 597 mil.

“De janeiro a abril deste ano, o estado já acumulou um valor de US$ 12.208 mil. No mês, o Acre exportou US$ 3.329 mil e importou US$ 1.627 mil. As exportações avançaram 115% quando comparadas ao mesmo período de 2017”, assinala o informativo.

Ainda de acordo com a publicação, a castanha do Brasil segue sendo o produto mais exportado do Acre, registrando aumento de 158% em relação ao mesmo período do ano passado. Em seguida, o ranking destaca a exportação de madeira, com aumento de 765% em relação a 2017. Em terceiro lugar, estão miudezas comestíveis de bovinos, congelados, entre outros.

“Tais números representam uma grande vitória para o Estado que, em meio à crise econômica atravessada pelo país, consegue manter sua balança comercial superavitária e com números expressivos. Destaque especial aos produtos com maior volume exportado, diretamente ligados à produção extrativista. Isso demonstra que o governo, como parceiro do produtor, acerta nas políticas públicas de incentivo ao desenvolvimento sustentável”, afirma André Vieira, diretor da Agência de Negócios do Acre (Anac).

Os maiores parceiros comerciais são Peru, seguido por Honk Kong, Bolívia e Estados Unidos.

Mais uma boa notícia para a economia acreana. Depois de ser divulgado pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN), na última semana, que o Acre é um dos dez estados a registrar superávit, dados publicados no Observatório do Fórum Permanente de Desenvolvimento do Acre apontam que, em abril deste ano, o saldo positivo da balança comercial foi de US$ 597 mil.

“De janeiro a abril deste ano, o estado já acumulou um valor de US$ 12.208 mil. No mês, o Acre exportou US$ 3.329 mil e importou US$ 1.627 mil. As exportações avançaram 115% quando comparadas ao mesmo período de 2017”, assinala o informativo.

Ainda de acordo com a publicação, a castanha do Brasil segue sendo o produto mais exportado do Acre, registrando aumento de 158% em relação ao mesmo período do ano passado. Em seguida, o ranking destaca a exportação de madeira, com aumento de 765% em relação a 2017. Em terceiro lugar, estão miudezas comestíveis de bovinos, congelados, entre outros.

“Tais números representam uma grande vitória para o Estado que, em meio à crise econômica atravessada pelo país, consegue manter sua balança comercial superavitária e com números expressivos. Destaque especial aos produtos com maior volume exportado, diretamente ligados à produção extrativista. Isso demonstra que o governo, como parceiro do produtor, acerta nas políticas públicas de incentivo ao desenvolvimento sustentável”, afirma André Vieira, diretor da Agência de Negócios do Acre (Anac).

Os maiores parceiros comerciais são Peru, seguido por Honk Kong, Bolívia e Estados Unidos.

Veja a íntegra na Agência de Notícias do Acre

Deixe uma resposta