Educa

Telescópio espacial Kepler é oficialmente aposentado pela NASA

Patrícia Gnipper

Como já estava previsto desde o início do ano, chegou o fim da linha para o telescópio espacial Kepler, que ficou conhecido como o “caçador de exoplanetas”. A agência espacial dos Estados Unidos anunciou a “morte” do Kepler nesta terça-feira (30), explicando que o motivo para o triste fim do telescópio é mesmo o que já esperávamos: acabou-se o combustível.

O Kepler entrou para a história por ter permitido a descoberta de mais de 2.600 exoplanetas (aqueles que orbitam outras estrelas além do nosso Sol) e, graças a dados obtidos por meio dele, pudemos colher uma amostra estatística razoável sobre outros sistemas estelares, verificando que entre 20 e 50% das estrelas da Via Láctea têm planetas potencialmente rochosos nas zonas habitáveis de seus sistemas. E nada disso era sabido até pouquíssimo tempo atrás — apenas especulado.

A missão do Kepler começou em 2009, sendo que, em 2013, um de seus giroscópios falhou. Mas a NASA conseguiu estabilizar o apontamento do telescópio no ano seguinte usando a pressão da radiação solar como se fosse um giroscópio adicional e, assim, nasceu a missão K2, proporcionando mais uma série de descobertas sem precedentes até agora, em 2018.

Veja íntegra no Canaltech

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: