Automutilação em jovens: saiba como identificar sinais na escola e nas redes sociais

Roupas longas e conteúdos de cunho depressivo podem indicar prática; especialista defende apoio ao invés de punição

A automutilação, embora prática silenciosa e escondida, expõe dilemas emocionais e psicológicos complexos, sobretudo em adolescentes do gênero feminino. Para lidar com o problema, especialistas defendem que famílias e escolas precisam formar mecanismos de acolhimento em vez de partir para julgamentos morais ou punições.

Alguns sinais podem acender alertas. De acordo com a mestra em Psicologia e psicóloga escolar Lorena Lopes, eles incluem o uso de moletons ou roupas compridas, mesmo em dias quentes, ou de grande número de pulseiras. Esse tipo de vestuário tem a intenção de esconder as marcas da autoagressão, que geralmente são visíveis nos pulsos e nas pernas.

“Outros sinais são emocionais, como a introspecção. Os professores podem perceber mudanças comportamentais, como participar menos das aulas ou ficar mais calada, no canto. A família também deve ficar atenta ao rendimento escolar, caso as notas caiam subitamente”, explica Lorena.

Veja mais no Diário do Nordeste

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: