Após morte, escolas e pais se preocupam com “brincadeira viral”

Educa

Apelidada de roleta-russa humana, quebra-coquinho ou brincadeira da rasteira, a prática pode provocar traumatismo craniano grave

Érica Montenegro

ma “brincadeira” perigosa que viralizou em vídeos na internet tem preocupado a comunidade escolar. Apelidada de roleta-russa humana, quebra-coquinho ou brincadeira da rasteira, a prática consiste em duas pessoas darem uma rasteira em uma terceira, que cai de costas no chão e, com isso, pode machucar gravemente o cérebro ou a coluna cervical.

Veja também:

Setor de serviços fecha 2019 com crescimento de 1%

Geração de energia solar deve ganhar marco regulatório no país

Nas redes sociais, há vários vídeos mostrando como é o “desafio”, inclusive com imagens de adolescentes uniformizados “brincando”. “Não é uma brincadeira, é uma tentativa de homicídio/suicídio”, alerta o cirurgião Rodrigo Caselli, do Centro de Trauma do Hospital Brasília.

O que deve ser observado em caso de pancadas na cabeça?
O médico explica que tombos assim podem provocar traumatismos cranianos, lesões na coluna ou até, em casos mais graves, levar à morte. “É uma prática tão arriscada que uma morte durante uma “brincadeira” dessas não é um acidente, é um efeito pretendido”, afirma o médico, que ficou alarmado ao ver as imagens.

Veja mais no Metrópoles

Amazônia Brasil Rádio Web ao vivo!

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.