Polícia do Rio conclui que atirador teve intenção de matar menino

Crime foi em junho, na casa da vítima, durante festa de aniversário

A Polícia Civil do Rio de Janeiro concluiu que o investigado pela morte do menino Douglas Enzo Maia dos Santos Marinho, de 4 anos, cometeu homicídio doloso qualificado.

A Secretaria de Polícia Civil informou hoje (18) que o inquérito foi concluído pela 66ª Delegacia (Piabetá) e alterou a autuação inicial de Pedro Vinicius de Souza Pevidor, que era de homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

O crime ocorreu no dia 7 de junho, na casa da vítima, durante sua festa de aniversário de 4 anos.

Segundo a polícia, o investigado foi armado à comemoração, em Magé, na Baixada Fluminense, e efetuou o disparo que matou a criança.

Veja também:

Amapá tem 18.618 casos confirmados, 10.707 em análise laboratorial, 8.528 pessoas recuperadas e 338 óbitos

Orientações sobre denúncias de fraudes no Auxílio Emergencial

Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, é preso no interior de SP

Além de inicialmente homicídio culposo, a autuação em flagrante também incluiu porte ilegal de arma de fogo.

O delegado responsável pelo caso, Antônio Silvino, afirmou que a análise dos laudos e depoimentos indicou que o investigado atirou em direção à vítima, com a intenção de atingi-la, além de ter torcido seu braço.

Dois irmãos da vítima prestaram depoimento, e um deles relatou ainda que Pedro apertou o pescoço do menino.

O investigado teve prisão preventiva decretada em 9 de junho, durante sua audiência de custódia, e continua detido.

Com a conclusão do inquérito, a polícia vai informar à Justiça que ele deve responder por homicídio qualificado, com o agravante de ter praticado o crime contra uma criança.

EBC

Clique aqui e Inscreva-se agora!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: