Instituto Dirson Costa apresenta ampliação de seu acervo audiovisual

O Instituto Dirson Costa foi vencedor do Prêmio Equipa Cultura – Lei Aldir Blanc com o objetivo de dar continuidade ao seu acervo audiovisual de personalidades amazonenses Para ampliar o registro de memórias de personalidades que contam a história cultural, artística social e tecnológica do Estado do Amazonas, o Instituto Dirson Costa (IDC) implantou o projeto “Ampliação do Acervo Audiovisual do Centro de Memória e Pesquisa do IDC”, vencedor do Prêmio Equipa Cultura / Lei Aldir Blanc, do Governo do Amazonas e avançou em mais uma etapa da montagem de seu acervo em vídeo de figuras emblemáticas da história amazonense.

O Prêmio possibilitou a aquisição de uma câmera mais moderna e com maior qualidade técnica para registrar os depoimentos de personalidades amazonenses que fazem parte da construção da cidade de Manaus. Essas memórias serão disponibilizadas como fonte de pesquisa para atender não só pesquisadores, mas a todos que tiverem interesse em compreender a evolução do Amazonas no decorrer de sua história recente.  

Como contrapartida ao prêmio o IDC registrou as memórias de 10 personalidades amazonenses: Messias da Silva Sampaio, Jornalista, político e ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas; Afonso Lacerda, primeiro artista da arte da marchetaria do Amazonas; Ernesto Renan de Freitas Pinto, sociólogo, escritor e professor da Universidade Federal do Amazonas; Ana Abrahim, arquiteta e urbanista, implantou a Superintendência da IPHAN na Amazônia Ocidental; Cleomar dos  Anjos Feitoza, juíza aposentada, cantora lírica, criadora do Coral João Gomes Júnior; Rosa Mendonça de Brito, filósofa, educadora, professora da UFAM e membro da Academia Amazonense de Letras e do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas; Renato Alcântara, radialista e editor, pioneiro no rádio amazonense e editor de documentários; Duhigó, artista visual indígena da etnia Tukano, primeira artista indígena do Amazonas a ter uma obra no acervo do MASP; Dr. Nelson Fraiji, médico hematologista, fundador do Hemoam e ex-reitor da Universidade Federal do Amazonas; e Frederico Arruda, Bioquímico, pesquisador, professor da UFAM, foi presidente do IBAMA no Amazonas e secretário Municipal de Meio ambiente.

Salvaguarda da memóriaO objetivo do projeto é salvaguardar as memórias de acontecimentos históricos de personagens do estado e auxiliar na compreensão do ethos amazônida no contexto do ethos brasileiro, recolocando o povo amazonense com toda a sua rica identidade nortista e fundadora de tradições e costumes como sociedade singular pertencente à sociedade brasileira, chamando assim a atenção para a sua construção histórica. O acervo garantirá a continuação dos registros de documentos audiovisuais, dando prioridade aos cidadãos com mais de 60 anos de idade que deixam registrados parte de suas histórias de vida, agregando valor histórico imensurável ao estado e impactando de forma positiva a Cultura do Amazonas.

De acordo com a diretora presidente do Instituto Dirson Costa, Dra. Aidalina do Nascimento Costa, há uma carência de registros históricos sobre a história do Amazonas e de seu povo de uma forma evolutiva contada por quem presenciou e sentiu, de maneira direta, esse processo de desenvolvimento e por quem viu o futuro chegar e o Amazonas tomar novos rumos.  “O Centro de Memória e Pesquisa do Instituto Dirson Costa precisa continuar o registro da memória das personalidades que guardam recordações dos acontecimentos, dos costumes, das transformações tecnológicas, sociais e culturais do Estado do Amazonas. Esta ação é de grande relevância para compreendermos a dinâmica da formação da nossa identidade cultural enquanto sociedade. Ser brasileiro amazônida tem a sua particularidade”, destacou Aidalina.
O projeto “Ampliação do Acervo Audiovisual do Centro de Memória e Pesquisa do Instituto Dirson Costa” foi contemplado pelo Programa Cultura Criativa – 2020 / Lei Aldir Blanc – Prêmio Equipa Cultura do governo do estado do Amazonas, com apoio do Governo Federal, Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura e Fundo Nacional de Cultura. A execução do projeto consistiu em adquirir equipamentos de filmagem e gravação de áudio.

O Instituto Dirson Costa de Arte e Cultura da Amazônia é um ONG brasileira e amazônida voltada para formar e desenvolver o homem da Amazônia ao pleno exercício de sua cidadania, utilizando o estudo e ensino da arte e da cultura, a salvaguarda cultural e o fortalecimento de uma indústria criativa como vetor deste desenvolvimento social, econômico e ambiental da Amazônia.

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: