Poeta Joãozinho Gomes é barrado pela FUMCULT e escreve carta aberta em protesto

È sempre bom lembrar que em terras Tucujus a politicagem impera vergonhosamente e que o poder passando de mão em mão benficia os seus apaniguados. Mas na gestão atual, no município de Macapá a coisa extrapola tudo o que já se viu nesses termos. Leia a íntegra da carta aberta do poeta Joãozinho Gomes sobre processo seletivo no qual sua proposta simplesmente suniu.

À FUMCULT.
Atendendo ao EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA EMERGENCIAL DE PREMIAÇÃO Nº 004/2021 – ARTE PRESENTE – ALDIR BLANC / FUMCULT – MACAPÁ/AP, fiz minha inscrição, com bastante antecedência, tendo como proponente a AMCAP – Associação dos Músicos e compositores do Amapá, concorrendo na linguagem MÚSICA. A inscrição foi feita em conformidade aos artigos II e IV; incisos 5, 6 e 7 do Edital. E para minha surpresa tive meu projeto suprimido nas fases de habilitação / julgamento do mérito e resultado final.

A minha proposta simplesmente sumiu e neste momento recorro ao Artigo 37 da Constituição Federal que rege a administração pública nos seguintes termos:
“Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.”
Acho-me no direito de saber o que houve com a minha proposta de reconhecimento artístico em prol da minha cidade.
Não tenho aqui, de maneira alguma, intenção de questionar o reconhecimento que tiveram os meus colegas de ofício, nem gerar qualquer discussão sem fundamento. Inclusive sou totalmente contra o processo de premiar somente uns poucos numa terra tão rica em autores artísticos / culturais, somos todos trabalhadores e trabalhadoras com o ‘jeito de ser do povo daqui’, e entendo que toda a cadeia é merecedora de todos os prêmios e aplausos. Mas faço público o ocorrido, por saber que é um processo de chamada pública e precisa ser transparente. Não questiono, de maneira alguma, que o meu trabalho artístico seja julgado irrelevante, pela FUMCULT, para ser premiado, o que eu quero é entender o que aconteceu? O fato do meu nome não constar na lista, nem como ‘aprovado classificado’, nem como ‘classificado’, como a lista se mostra, me leva a crer na defenestração da minha proposta, e, que a referida Fundação não me reconhece como artista. Por que a minha proposta sumiu?

Sigo firme e feliz com a minha arte na cidade que me acolheu e adotou. Há mais de 30 anos que essa CIDADE MORA EM MIM e esse amor é inquebrantável.
“Nós dois aqui, você cidade, e eu, sei lá!
Seu adotivo curumim
Ou um poeta a lhe adotar?
Somos enfim
Terra e raiz, céu e guará
Um par de sonhos a existir desafiando o que virá”.

Na Pele de outros artistas

Raimundo Chermont Junior Chermont JuniorMe solidarizo com o amigo Poeta Joãozinho Gomes e senti na pele o mesmo problema também nem apareci na lista de selecionados e nós que tanto fazemos por esse estado estou 1 mês e meio andando pelo Brasil em Festivaisbde Músicas importantíssimos levando o nome do nosso Estado o Amapá e olha o que recebemos Joãozinho , Enrico e Ariel Moura venceram um grande Festival em Fortaleza e olhem o que o nosso poeta recebe , um vergonha como está nossa cultura em alguns setores , patético valores invertidos no cenário artístico , mas nossa arte é maior que tudo isso e sempre seguiremos em frente com Fé e Determinação!

Jota Jamerson

Onpteom98uu2 às 13u:8r45  · Vou te contar viu , Já faço cultura documentada por 25 anos com o currículo abarrotado de trabalho e sendo excluído enquanto tem gente que começou a pouco tempo ( excluindo os novos talentos claro), outros que nem moram aqui no estado sendo simplismente premiados por esse último edital da Secult e eu (Já acostumado a ser limado) E outros artistas ficando de fora mesmo com portifólio atualizado , sempre produzindo e vivendo exclusivamente da arte sendo varridos pra baixo do tapete . Vivemos exclusivamente da arte e vcs nos abandonam como se fossemos lixos descartáveis . Vcs são ruins , malvados e sem coração , não estamos precisando da grana pra abastecer nossos carros e fazer churrasco, é pra sobreviver mesmo. NOJENTOS

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" para ajudar a manter esse site. basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: