SENAI viabiliza desenvolvimento de projeto de produção de óleos e manteigas vegetais

Por meio de atuação do SENAI, o projeto intitulado Valorização de resíduos oriundos da produção de óleos e manteigas vegetais amazônicos para geração de produtos de valor agregado acaba de ser aprovado pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII). A partir de agora, a empresa Amazonly – que é quem desenvolve os produtos – conta com recursos subvencionados pela EMBRAPII para apoiar na fabricação de bioprodutos.

A aprovação significa que os resíduos produzidos pela Amazonly passarão por testes laboratoriais no Instituto SENAI de Inovação em Química Verde (ISI QV) – que é uma unidade EMBRAPII vocacionada para o desenvolvimento de soluções sustentáveis – para transformar a matéria prima em novos produtos para a indústria.

O gerente executivo de operações do SESI SENAI Amapá, Julio Zorzal, destaca que o potencial do estado do Amapá para o desenvolvimento tecnológico de produtos de origem do bioma amazônico foi o fio condutor para a elaboração do projeto.

“É um estado que possui 70% de seu território coberto por floresta nativa e isso é uma oportunidade, um potencial de negócio muito forte voltado para a bioeconomia. Neste sentido, o SENAI Amapá em parceria com sua rede de tecnologia dos institutos de inovação tem procurado identificar esses potenciais e ao lado das empresas locais desenvolver novos produtos, a exemplo do que foi feito com a Amazonly”, explica Zorzal.

O projeto é pautado no compromisso de oferecer para a sociedade caminhos para trabalhar processos produtivos mais limpos. “A partir de agora o grande desafio é produzir o óleo sem deixar resíduos. Tudo o que seria resíduo a gente vai conseguir transformar em um novo produto para ser reaproveitado de outra forma”, detalha o pesquisador-chefe do ISI QV, Antonio Fidalgo.

“Acredito muito no projeto da biorrefinaria. O mundo está olhando para a Amazônia e essa iniciativa vai gerar emprego, vai exigir capacitação de mão de obra. Mais uma grande parceria para promovermos o desenvolvimento do estado”, destaca o proprietário da Amazonly, José Claudio Balducci.

Diálogo de projetos sustentáveis

Com o objetivo de promover o debate com instituições públicas e privadas para a promoção de projetos de inovação no bioma amazônico, o SESI SENAI Amapá tem realizado o evento Diálogo de Projetos Sustentáveis. O projeto que trabalha a produção de óleos e manteigas vegetais amazônicos nasceu nas discussões apresentadas na primeira edição do evento.

“A iniciativa envolve a participação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Instituto Amazônia+21. Com foco no ESG (sigla do inglês Environmental, Social e Governance – Ambiental, Social e Governança), os encontros são focados em difundir boas práticas para negócios sustentáveis na Amazônia Legal”, conclui Zorzal.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: