Macapá é classificada como médio risco para infestação do Aedes

Educa

Mais de 40% dos criadouros do mosquito Aedes aegypti foram encontrados no lixo doméstico e outros resíduos sólidos. É o que aponta o V Ciclo do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) de 2017, que classificou o município de Macapá como médio risco para infestação.

 

De acordo com o levantamento, 44,8% dos criadouros foram encontrados em lixo doméstico e outros resíduos sólidos, seguido de depósitos de água ao nível do solo, como tonéis e baldes destampados, utilizados pela população no armazenamento de água (24,1%). Dos 57 bairros e loteamentos visitados, 43 foram classificados como baixo risco e 14 como médio risco, e nenhum foi classificado como alto risco de infestação do mosquito.

 

Os bairros Fortaleza, Pedrinhas, Buritizal, Congós e Novo Horizonte serão os primeiros a receber as ações de controle intensificadas, a partir da próxima semana. As informações deste ciclo irão compor o documento nacional, que é lançado no fim do ano, e condensa as informações sobre a incidência do mosquito no país. “Os LIRAas que antecedem o período chuvoso são os mais importantes para nortear as ações que são desenvolvidas de acordo com o índice de infestação do mosquito”, ressalta o coordenador de Programa de Combate à Dengue, Kilder Vidal.

 

Além deste, em 2017, quatro ciclos do LIRAa foram feitos. Em todos os levantamentos, o município de Macapá foi classificado como médio risco para infestação do Aedes.

 

Jamile Moreira

Assessora de comunicação/Semsa

Contato: 99135-6508

Amazônia Brasil Rádio Web ao vivo!

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.