Educa

No Amapá, 56% dos municípios ficarão sem profissionais nas UBSs no aguardo da segunda etapa do Programa Mais Médicos

Nesta sexta-feira, 7, à meia-noite, as inscrições de profissionais para o programa Mais Médicos encerram em todo o país, e no Amapá, dos 16 municípios, 9 ainda ficarão sem médicos na Unidades Básicas de Saúde (UBS), até a segunda etapa do projeto, que irá abrir para brasileiros e estrangeiros formados no exterior.  De acordo com dados do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems-AP), foram ofertadas para todo o estado, 76 vagas, sendo 9 para Distritos Sanitários Especiais de Saúde Indígena (DSEI). O presidente do Cosems-AP, Marcel Menezes, assume preocupação com a situação nos municípios.

Com o não preenchimento dos vagas, os secretários dos municípios que ficaram sem médicos nas UBSs após o encerramento do convênio do Governo Federal com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPA) e não despertaram interesse nesta fase do Mais Médicos, esperam que na segunda etapa, que inicia dia 11 de dezembro, sejam contemplados. Os municípios que ficarão sem médicos são: Itaubal, Vitória do Jari, Pedra Branca do Amapari, Serra do Navio, Ferreira Gomes, Porto Grande, Calçoene, Cutias e Laranjal do Jari.

Em Oiapoque, o secretário de Saúde Isaú Mecenas relata que desde a saída definitiva dos médicos cubanos, no dia 28 de novembro, o atendimento nas unidades de saúde do município é feito somente por enfermeiras. Eles tinham seis médicos estrangeiros, e nesta primeira etapa do Mais Médico, foram oferecidas 5 vagas para Oiapoque, mas semente duas foram preenchidas. “Este dois médicos entregaram hoje a documentação e têm até dia 14 para se apresentarem. Esperamos que dê tudo certo, porque é inadmissível ficarmos sem médicos”, disse o secretário.

“Antes do término do acordo diplomático entre as duas nações, o Amapá tinha todas as vagas preenchidas nos municípios. Alguns municípios têm médicos de outros convênios ou na rede estadual, mas, por exemplo, Cutias e Oiapoque, ficaram sem nenhum profissional. A maior defasagem é em nas comunidades mais distantes e áreas indígenas”, disse o presidente Marcel Menezes. Em Macapá, capital do estado, foram oferecidas 9 vagas, todas preenchidas, mas somente 7 ficaram até o final. Santana foi o município que mais abriu oportunidades, 21, sendo que 13 aceitaram as condições.

O Ministério da Saúde (MS) disponibiliza nesta terça-feira, 11, até dia 14, novas inscrições do programa para profissionais brasileiros e estrangeiros formados no exterior,  sem registro no Brasil. Eles devem enviar a documentação ao MS e estarem aptos para a validação. Entre os dias 20 e 22, os brasileiros com formação em outro país, sem registro no Brasil e que tenham a inscrição validada, podem escolher municípios remanescentes.

MUNICÍPIOVAGASINSCRITOSAPRESENTARAMPERMANECERAM
Macapá 09  0997
Itaubal 01  000000
Pracuúba 01  01  0101
Vitória do Jari 03  030000
Pedra Branca 01  010000
Serra do Navio 01  000000
Ferreira Gomes 01  010000
Porto Grande 04  020000
Calçoene 01  010000
Amapá 01  010101
Cutias 02  010000
Santana 21  211313
Mazagão 06  060502
Oiapoque 06  050202
Tartarugalzinho 03  030101
Laranjal do Jari 06  050000
Terras Indígenas 09  000000
TOTAL76553227

Mariléia Maciel

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: