Ouça "Notícias da Amazônia ao vivo!" no Spreaker.

Primeira composição do Conselho Municipal LGBT+ é eleita na capital Macapá

Estimular a participação popular na construção de políticas públicas é uma das marcas da gestão do prefeito Clécio Luís. Com o objetivo de eleger os membros para a primeira composição do Conselho Municipal dos Direitos da População de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestir e Transexuais aconteceu nesta segunda-feira, 16, na sede da Secretaria Municipal de Assistência Social e do Trabalho (Semast), a plenária de escolha dos representantes da sociedade civil para o biênio 2020/2022.

Esta etapa é parte do processo de criação do conselho após o prefeito Clécio Luís sancionar o Projeto de Lei 2.375/2019. Desta forma, inserido na estrutura da Semast, o conselho será um órgão propositivo, consultivo, normativo, deliberativo e fiscalizador. Por essa razão, sob a orientação do Departamento de Promoção da Igualdade e Orientação Sexual (Depir), tendo a participação externa da Associação dos Defensores e Defensoras do Estado do Amapá (Adedap) e Conselho Estadual LGBT, a Prefeitura de Macapá convocou a população para a escolha dos representantes da sociedade civil.

“Acreditamos que o conselho é um passo importante, porque o prefeito Clécio, desde o seu primeiro mandato, sempre teve a compreensão de fazer uma gestão participativa. A eleição representa exatamente isso, quando a secretária abre mão de fazer a indicação e convoca a sociedade civil para que possa indicar seus membros, seus representantes”, declarou o diretor do Depir, André Lopés.

Foram eleitos para a composição do Conselho Municipal dos Direitos da População LGBT+ representantes da sociedade civil maiores de 18 anos e com atuação no campo de promoção dos direitos destas populações. Os candidatos se inscreveram por segmentos, sendo respectivamente escolhidos por estes. Portanto, das 10 vagas, 9 foram preenchidas, ficando, desta forma, um acento disponível, que será preenchido por indicação da secretária de Assistência Social, cumprindo assim o parágrafo único do Artigo 5º da Lei nº 2375/2019.

Apurou-se a aprovação, pelos votos da maioria dos presentes, para o segmento de Lésbicas: Joanne Costa Gomes e Leia dos Santos Braga; Gay: Rodrigo Correa Mergulhão e Valdinei Castro de Araújo; Bissexual: Caroline Dandara Picanço Souza e Anne Caroline Pariz Bittencourt; Transexuais: Guilherme da Silva Romano e Alexandre Morais de Oliveira; e Travestis: Suzanne Blue Amoras.

A nomeação e posse dos membros do conselho serão por ato do chefe do poder Executivo municipal, podendo ser feitas ainda em dezembro de 2019. “O conselho já inicia com a tarefa. Logo depois da posse, iremos iniciar o processo quanto conselheiros pela sociedade civil. Teremos a tarefa de iniciar junto a outros conselheiros do poder público a incumbência de consolidar o Plano Municipal de Direitos Humanos LGBT+, que terá como trabalho principal definir diretrizes para as políticas públicas da população LGBT no âmbito do município”, finalizou Lopes.

Sávio Almeida

Ouça "Notícias da Amazônia ao vivo!" no Spreaker.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: