img#wpstats{display:none}

Biblioteca Barca das Letras envia livros para comunidades ribeirinhas

Serão beneficiadas crianças que vivem em Itaubal, Macapá e Afuá

Desde 2008 a Barca das Letras circula por comunidades do interior da Amazônia e do sertão nordestino incentivando a leitura com crianças que vivem em comunidades ribeirinhas, quilombolas e indígenas. Em cada ação lúdica, os voluntários da biblioteca apresentam a leitura para a criançada de forma lúdica, com muita alegria e afeto. E, sempre ao final, distribuem livros e gibis para que levem para suas casas. Mas, com o surgimento do coronavírus, a Biblioteca teve que interromper sua circulação para não colocar em risco a vida das crianças e dos voluntários. 

Ante às orientações da Organização Mundial de Saúde para que as pessoas continuem em casa e não promovam aglomerações, a Barca das Letras resolveu então lançar seu novo projeto para este segundo semestre de 2020: o “Barca das Letras em ação!”. O projeto prevê o envio de 3.000 livros e gibis para as comunidades, de julho a dezembro. Para tanto, a biblioteca lançou uma ‘vaquinha on line’ para arrecadar recursos para o pagamento do frete e, também, aquisição de livros. Quem quiser ajudar, pode acessar o link http://vaka.me/1191058 e contribuir com qualquer quantia.


Para Jonas Banhos, coordenador da Barca das Letras, “esta ação é necessária uma vez que as crianças não estão podendo ir à Escola e também não têm acesso à internet. Então, a chegada de livros e gibis às crianças será um grande incentivo para que elas continuem buscando o conhecimento, estimulando suas criatividades e possibilitando viajarem pelo mundo mágico da leitura.” Neste mês de julho, já estão sendo enviados os primeiros 500 livros e gibis. No Amapá, serão beneficiadas as comunidades Foz do Rio Macacoari, São Tomé do Macacoari, Escola Família Agroecológica do Macacoari, no município de Itaubal e Santo Antonio da Pedreira, em Macapá. E em Afuá(PA), a comunidade São José, às margens do Rio Maniva.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: