COVID-19: estudo aponta que 60% dos brasileiros não higienizam o nariz

Apesar de o nariz proteger contra infecções virais, pesquisa recente mostra que brasileiros não higienizam o nariz corretamente. Veja dicas

Em meio à pandemia de COVID-19, é muito importante que as pessoas saibam quais órgãos podem ser considerados como “portas de entrada” para o vírus causador da doença, a fim de se proteger e, também, evitar a contaminação. E o nariz é um desses órgãos, e não somente no que tange a atual crise sanitária, já que esse órgão também é responsável pela infecção por outros vírus e bactérias.

Porém, pesquisa recente da Toluna Insights, em parceria com a Xlear, aponta que os brasileiros não têm cuidado tão bem assim dessa região.

É que, segundo os dados coletados pelo estudo, grande parte da população do país (96,5%) higieniza bem as mãos, lavando-as mais de uma vez ao dia. No entanto, quando se fala em nariz, a realidade é outra, já que apenas 40% dos entrevistados – cerca de 600 pessoas – higienizam o nariz mais de uma vez no decorrer do dia.

Além disso, outros índices revelados pela pesquisa preocupam, uma vez que, além de a maioria dos brasileiros não higienizar o nariz, muitos o fazem de forma errada.

Nesse quesito, a maioria (46,33%) limpa o nariz com água e sabão, 38,5% utilizam lenço e menos de 30% lavam com spray específico para o nariz. Apesar de ser um número menor, 24,5% higienizam o órgão apenas com os próprios dedos e 22,83% com cotonete.

Conforme Gustavo Ferrer, professor de medicina, consultor do estudo e fundador da clínica de doença pulmonar Cleveland Clinic Florida, o nariz é o local do corpo mais suscetível à infecção de vírus e bactérias, já que é por ele que os organismos atacam e entram no corpo.

“O vírus se instala inicialmente no nariz e vias aéreas superiores. É por isso que as pessoas sentem coriza e dor de garganta quando o vírus ataca. Geralmente, o sistema imunológico ataca, mas, se isso não acontece, o vírus se espalha para as vias aéreas inferiores.”

Veja mais no Estado de Minas

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: