Dia Internacional do Idoso: aposentada vende doces aos 83 anos para se manter ativa

Lina Orrico começou seu negócio na gastronomia na terceira idade e não pensa em parar

O Brasil tem mais de 29,9 milhões de idosos, segundo dados do World Population Prospects 2019. Há quatro anos o país tinha a quinta maior população idosa do mundo, conforme o Ministério da Saúde, e a projeção é que até 2030 o número de pessoas com 65 anos ou mais ultrapasse o total de crianças. Mas se você pensa que vida de idoso é sinônimo de ociosidade ou falta de ânimo, senta que lá vem história.

A aposentadoria, para muitos idosos, pode até ser o momento de descansar pelo tempo de serviço ativo, mas não para a baiana Lina Orrico, de 83 anos! A professora aposentada, mãe de duas filhas e avó de uma neta, não gosta de ficar parada e, por isso, faz bolos, doces e salgados sob encomenda, com muita dedicação, apesar da idade que tem.

Angelina Orrico, mais conhecida como Lina, deu início a um novo negócio em uma idade em que, para muitos, é tempo de descansar, não para essa caprichosa vovó. Aos 60 anos, a aposentada se associou a uma amiga para fazer bolos, doces e salgados. Desde então, vem encantando os clientes com a mistura de ingredientes afetivos colocados nas suas receitas. E ela se orgulha de ter clientes fiéis que fazem encomendas com ela desde a década de 90.

“Minha neta perguntou, ‘minha vó, a senhora com 83 anos… não tá na hora de descansar, não?’. Eu disse: ‘não… se eu gosto, se eu sei fazer, se eu me sinto bem, por que não?’. Fico feliz! Eu só fico triste quando olho minha agenda e vejo que tem pouca encomenda na semana”, declara entusiasmada. 

Colo de vó, cheiro de bolo: olhar o Instagram da Lina Orrico é se transportar para momentos gostosos com a família. Cada quitute exala afetividade que extrapola os quadrados das fotos. O segredo para isso, como ela revela, é fazer tudo com amor e carinho. 

Lina se declara apaixonada pelo que faz. Essa simpática aposentada, que chega a preocupar a família com sua teimosia para continuar fazendo doces, acredita que a aposentadoria não é desculpa para ninguém ficar em casa sem ocupação.

“Eu acho que todo mundo deveria entender que aposentadoria não é nenhum motivo pra ninguém ficar dentro de casa cansado porque trabalhou 30 anos. Se você adoeceu e não tá bem, vá descansar, mas se você tem saúde e vontade de fazer, faça! É um benefício pra você! Se você se aposentou e pensa em ficar parado, não faça isso, porque a vida não para com a aposentadoria”, incentiva.

Natural de Jitaúna, município baiano localizado a 383 km da capital Salvador, Lina aposentou-se aos 28 anos para cuidar do marido enfermo. Na mocidade, dedicou-se a cuidar do lar, mas com o passar dos anos sentiu que precisava dar um sentido maior à sua vida. Atualmente morando em Salvador, na Bahia, seu entusiasmo por viver não a deixa ficar parada. Ela se declara apaixonada pela Gastronomia e é inspiração para muitos jovens.

“Faço porque acho bonito, além de gostoso. Me encanta! Não tenho preguiça. Se for preciso, trabalho de noite, se tiver que refazer alguma coisa, refaço quantas vezes forem necessárias pra ficar tudo perfeito”, afirma com alegria. 

Formada pela Escola Normal, de Jequié (município baiano), na década de 60, Lina Orrico prestou vestibular aos 32 anos para Educação para o Lar, curso oferecido na sua época como formação escolar técnica instituída pela Lei 5.692. Assim, aprendeu sobre nutrição, decoração e algumas técnicas que lhe são úteis até hoje.

Disciplinada para aprender, Lina se matriculou em inúmeros cursos de decoração com frutas, flores e legumes. “Eu ficava lendo jornal dia de domingo pra ver a programação de cursos, telefonava e me matriculava pra fazer. Fiz tanto curso, de salgado, de docinho, de torta… o dinheiro que eu ganhava reinvestia em mais cursos. Ia, aprendia e voltava cada vez mais encantada”, relembra.

Essa senhora com alegria contagiante ficou deprimida na pandemia, com a falta de atividade, quando viu o número de pedidos diminuir.  A sua neta, comovida com a situação, criou um perfil no Instagram para publicar os trabalhos da avó e houve resultado. “No Dia dos Pais chegaram tantas encomendas, meu Deus, que alegria!”, conta Lina. Segundo ela, seus ingredientes secretos que não podem faltar nas receitas são amor e carinho. “Acredito que quando você faz com amor a boa energia volta pra você. O carinho é aquilo que você faz com cuidado, esmero”, reitera.

Fonte: Brenda Chérolet – Agência Educa Mais Brasil

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: