AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Mercado aposta em inflação mais baixa em 2017

Boletim Focus, do BC, também prevê PIB ligeiramente maior neste

Já sob influência do IPCA-15 de agosto, os economistas do mercado financeiro reduziram suas projeções para o IPCA (o índice oficial de inflação) neste ano. No Relatório de Mercado Focus divulgado nesta segunda-feira (28) pelo Banco Central, a mediana para o IPCA em 2017 foi de 3,51% para 3,45%. Foi a primeira baixa após cinco altas — há um mês, estava em 3,40%. A projeção para o índice de 2018 seguiu em 4,2%, mesmo porcentual de quatro semanas atrás.

Na prática, as projeções de mercado divulgadas nesta segunda no Focus indicam que a expectativa é que a inflação fique abaixo do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação entre 3% e 6%).

O boletim focus é divulgado semanalmente pelo Banco Central, às segundas-feiras, com a opinião de analistas do mercado financeiro.

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, as chamadas “Top 5”, a mediana das projeções para 2017 foi ainda menor, caindo de 3,38% para 3,27%. Para 2018, a estimativa passou de 4% para 4,19%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 3,1% e 4,19%, respectivamente.

PIB e taxa básica de juros

Para o PIB (Produto Interno Bruto), os economistas foram pouco mais otimistas do que na semana passada. Houve um ajuste na estimativa de crescimento para este ano, que antes era de 0,34%, para 0,39%. Para 2018, a expectativa continua sendo de expansão de 2%.

Os economistas das instituições financeiras passaram a ver que a taxa básica de juros voltará à mínima histórica neste ano, em meio ao cenário de inflação ainda mais favorável e atividade fraca.

 

Segundo a mediana das projeções na pesquisa Focus, a Selic deve fechar 2017 a 7,25%, sobre 7,50% antes, voltando à mínima recorde atingida em outubro de 2012 (saiba mais).

Outros índices

O relatório do BC também mostrou que a mediana das projeções do IGP-DI de 2017 passou de -1,03% para -1,04% da última semana para esta. Há um mês, estava em -0,86%. Para 2018, a projeção seguiu em +4,50%, mesmo valor de quatro semanas atrás.

Calculados pela FGV (Fundação Getulio Vargas), os IGPs (Índices Gerais de Preços) são bastante afetados pelo desempenho do dólar e pelos produtos de atacado, em especial os agrícolas.

Outro índice, o IGP-M, que é referência usual para o reajuste dos contratos de aluguel, foi de -0,72% para -0,76% nas projeções dos analistas para 2017. Quatro levantamentos antes, estava em -0,59%. No caso de 2018, o índice foi de +4,44% para +4,39%, ante +4,50% de um mês atrás.

Já a mediana das previsões para o IPC-Fipe de 2017 passou de +3,05% para +3,00% no Focus. Um mês antes, a mediana das projeções do mercado para o IPC era de +3,37%. Para 2018, a projeção do IPC-Fipe passou de +4,50% para +4,23%, ante +4,49% de um mês antes.

R7

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: