Lula se mantém à frente na corrida presidencial; sem petista, Bolsonaro lidera, diz pesquisa CNT/MDA

Maria Carolina Marcello

ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mantém sua liderança em todos os cenários eleitorais em que seu nome aparece como candidato à Presidência da República, apontou pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira, tanto no primeiro quanto no segundo turno.

Na sondagem de intenção de voto espontânea para a Presidência, Lula soma 18,6 por cento. Bolsonaro ocupa a segunda posição, com 12,3 por cento, seguido de Ciro Gomes (PDT), com 1,7 por cento, e o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), com 1,4 por cento.

O senador Álvaro Dias (PODE-PR), alcança 1,2 por cento na pesquisa estimulada, o mesmo patamar obtido por Marina Silva (Rede), seguidos do atual presidente Michel Temer, com 0,4 por cento das intenções de voto.

Brancos e nulos neste cenário estimulado somam 20,4 por cento, enquanto os indecisos chegam a 39,7 por cento. A margem de erro da sondagem é de 2,2 pontos percentuais.

Pesquisa passada, publicada em setembro, apontava Lula com 20,2 por cento dos votos nas respostas espontâneas, seguido por Bolsonaro, com 10,9.

Para o diretor executivo do Instituto MDA, Marcelo Souza, não é possível identificar o motivo da oscilação de Lula e Bolsonaro na pesquisa de março, mas os embates judiciais enfrentados pelo petista podem ter influenciado.

“São oscilações pequenas, então não dá para a gente saber ao certo de onde vem cada um desses movimentos. Obviamente, o ex-presidente Lula, à medida em que o tempo passa e essas questões jurídicas começam a cercar ele, pode ser que ele tenha uma tendência a ter uma redução, à medida que as pessoas passem a acreditar que ele não será candidato”, avaliou Souza.

“Mas não dá para a gente dizer que aquilo causou isso, são apenas oscilações dentro da margem.”

Apesar da liderança na pesquisa, Lula poderá ser impedido de disputar a eleição de outubro. O ex-presidente teve uma condenação em primeira instância confirmada pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). A Lei da Ficha Limpa determina a inelegibilidade de condenados na Justiça por órgãos colegiados, caso da 8ª Turma do TRF-4.

Os advogados do ex-presidente, no entanto, ainda podem recorrer a tribunais superiores para garantir a candidatura.

A pesquisa também abordou as acusações contra Lula envolvendo o apartamento tríplex no Guarujá e apontou que 52,1 por cento dos entrevistados considera que o ex-presidente deveria ter sido condenado, contra 37,6 por cento, que consideram que o petista deveria ter sido inocentado.

Também demonstrou que 54,2 por cento dos entrevistados não votaria em algum candidato indicado por Lula. O percentual dos que votariam em qualquer candidato indicado por ele nas próximas eleições, caso seja impedido de concorrer em outubro, é de 16,4 por cento. Outros 26,4 por cento afirmam que votariam em algum candidato indicado pelo ex-presidente, a depender do nome.

Veja íntegra no Terra

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.