Ao menos 20 mil civis fogem do enclave de Ghuta Oriental

Educa

Ao menos 20 mil civis fugiram nesta quinta-feira (15) do enclave rebelde de Ghuta Oriental, perto de Damasco, onde o regime sírio tomou mais de 70% do território, inclusive a cidade de Hamuriya, no sul.

Mais de 350 mil pessoas morreram desde que começou o conflito na Síria em 2011 e depois de sete anos de guerra o país está em ruínas.

O presidente sírio, Bashar al Assad, debilitado durante muito tempo, conseguiu, graças ao apoio da Rússia, reverter a situação no terreno até retomar o controle de mais da metade do país.

Perto de Damasco, as forças governamentais sírias e a Rússia se concentram na ampla operação iniciada em meados de fevereiro contra a Ghuta Oriental, onde se encontra o último reduto da oposição mais próximo da capital.

Após mais de três semanas de ofensiva, o regime retomou o controle de 70% do reduto rebelde, ao custo de muitas vítimas civis.

Os bombardeios diários sobre o enclave deixaram 1.250 civis mortos, dos quais mais de 250 menores, e 4.800 feridos, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

O enclave está sitiado desde 2013 e a ofensiva do regime conseguiu dividi-lo em três setores. Nesta quinta-feira, mais de 20 mil civis fugiram de Hamuryia e outras localidades do sul, segundo o OSDH.

A AFP constatou que milhares de civis fugiam nesta quinta-feira de Hamuriya e arredores, a pé, em veículos ou em moto, em direção às zonas controladas pelo regime sírio. “Hamuriya já está quase vazia”, disse um deles.

Veja mais no Estado de Minas

Aprecie a boa música da Amazônia

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.