Associação Bom Sucesso realiza reuniões para assinatura de contratos

A Associação dos Agroextrativistas Ribeirinhos do Rio Araguari – Bom Sucesso, por meio do convênio Ecoforte Extrativismo, realizou, no município de Porto Grande, reuniões nos dias 12 e 13 de abril para assinaturas de contratos e alinhamentos com a equipe do projeto Bom Sucesso Sustentável: Cadeias produtivas do açaí e da andiroba gerando trabalho e renda na Floresta Nacional do Amapá.

No primeiro momento, a coordenação do projeto se reuniu com a assistente social da prefeitura de Porto Grande, Italina Carvalho, com objetivo de buscar orientações sobre o acesso ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Italina disse que o primeiro passo para acessar o PAA é necessário a emissão do certificado do Conselho Municipal de Serviço Social. “A partir disso a associação poderá abrir um crédito na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)”.

A Associação, após acessar o PAA, poderá fornecer alimentos para a merenda escolar ou para famílias com vulnerabilidade social.

No segundo momento o coordenador do projeto, Marcos Pinheiro, reuniu individualmente como cada membro da equipe para fazer as orientações iniciais, esclarecendo a tarefa de cada um. Após isso os colaboradores assinaram o contrato com a Associação.

E por fim, foi feito um treinamento com a equipe para a aplicação de um formulário para os beneficiários, com objetivo de conhecer um pouco mais sobre os parceiros. As informações coletadas servirão de base para o planejamento e desenvolvimento de ações futuras pela Fundação Banco do Brasil.

O Convênio Ecoforte Extrativismo visa contemplar projetos que fortaleçam a produção de base extrativista, como empreendimentos de beneficiamento ou comercialização de produtos provenientes do uso sustentável da sociobiodiversidade.

A Associação participa do Programa de Ampliação e Fortalecimento das Redes de Agroecologia e Produção Orgânica, e tem como objetivo fortalecer a organização social dos moradores do Alto Rio Araguari. O objetivo é incentivar o uso de recursos da floresta de forma sustentável com orientação de boas práticas e técnicas de beneficiamento para agregar valor comercial aos produtos artesanais.

O projeto tem como parceiros o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), por meio da Floresta Nacional do Amapá, Iepé – Instituto de Pesquisa e Formação Indígena, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), Instituto Estadual de Florestas do Amapá (IEF), Instituto de Estudo e Pesquisa do Amapá (IEPA), e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE).

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.