Mais de mil municípios podem ter surto de doenças causadas pelo Aedes Aegypti

O levantamento feito pelo Ministério da Saúde indica que 22% das cidades brasileiras apresentam alto índice de infestação, com risco de surto por dengue, zika e chikungunya.

Duas capitais estão em risco: Cuiabá e Rio Branco. Outras quinze estão em estado de alerta: Rio de Janeiro, Fortaleza, Porto Velho, Palmas, Maceió, Salvador, Teresina, Recife, Brasília, Vitória, São Luís, Belém, Macapá, Manaus e Goiânia.

Apenas São Paulo, João Pessoa e Aracaju apresentam índices satisfatórios. Já Curitiba, Belo Horizonte, Boa Vista, Campo Grande e Florianópolis não enviaram os dados sobre infestação ao Ministério da Saúde.

As informações são referentes ao período de janeiro a março deste ano.

Até 21 de abril, foram notificados mais de 100 mil casos prováveis de dengue em todo o país, uma redução de 20% em relação ao mesmo período de 2017. Também houve queda expressiva no número de óbitos, com redução de 44%.

Em relação à chikungunya, a redução foi de 65% em relação ao mesmo período do ano passado. Em 2018, houve 4 mortes confirmadas laboratorialmente, sendo que em 2017, foram 83.

Já os casos de zika diminuíram 70% em relação ao mesmo período do ano passado e nenhuma morte foi registrada.

EBC

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.