Meliponário no Bioparque da Amazônia atuará como espaço de educação ambiental

Educa

Com a reabertura marcada para 25 de outubro de 2019, o Bioparque da Amazônia, antigo Zoobotânico, é também um espaço para educação ambiental. Considerado o maior parque em área urbana da Região Norte, foi planejado para essa nova etapa atuar em conjunto com pesquisadores e educadores na missão de educar para a sustentabilidade.

Após 20 anos fechado, a Prefeitura de Macapá reabrirá o Zoobotânico. Todos os espaços construídos foram pensados com foco nessa missão, em especial o meliponário, um local de criação de abelhas nativas da Amazônia, conhecidas como abelhas sem ferrão. A área é acessada por meio de uma trilha e composta por diversas colmeias, onde é desenvolvida a meliponicultura, que é o manejo das abelhas.

Durante as visitas guiadas, o público terá uma pequena aula sobre as abelhas da região e a necessidade de conservação e uso sustentável. Segundo o diretor do Bioparque, Richard Madureira, o espaço é parte de um conjunto que visa desenvolver e distribuir conhecimento no estado. “Nosso objetivo é transformar o Bioparque no maior centro de pesquisa do Amapá, gerando conhecimento e levando, de forma lúdica, para a população”, explica.

Como forma de incentivar a realização de visitas escolares, a Prefeitura de Macapá implementará um sistema que permitirá a gratuidade de entrada para estudantes e alunos em visitas guiadas. Estudantes avulsos que apresentarem a identificação também terão direito a meia entrada.

Além do meliponário, outros espaços como orquidário, jardins, trilhas, e também fauna e flora poderão contribuir com grupos e estudantes que desejam ter contato com a natureza no maior parque em área urbana do Norte do país.

Jhenni Quaresma

Aprecie a boa música da Amazônia

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.