Cultura Afro-Indígena protagoniza mural em Museu amapaense

Educa
A parceria entre duas importantes instituições relacionadas à cultura no Amapá, o Centro de Educação Profissional em Artes Visuais Cândido Portinari e o Museu Sacaca, gera mural de 18 metros intitulado “Encantados na Cobra Coral”. Pintado por estudantes, tem foco na cultura afro-indígena e é gratuito à visitação. Entenda mais sobre a obra, a seguir!
O Centro Cândido Portinari é um caso especial na Amazônia. Ativo há 46 anos no Amapá, a instituição é um tradicional celeiro de artistas, ofertando cursos gratuitos e profissionalizantes na área de Artes Visuais. Deslocados de seu prédio original há 11 anos por uma reforma demorada, fato que infelizmente faz muitos pensarem que a escola fechou, a construção dos anos 70 foi simplesmente a primeira arquitetura moderna no centro de Macapá.

Na capital do Estado onde a maioria da população se considera negra, o Museu Sacaca representa um lugar de resistência, preservação e comunicação do saber popular e científico dos povos amazônicos. Como patrono traz o “curador da floresta” Raimundo Santos Souza, o Mestre Sacaca, fundador da União dos Negros do Amapá (UNA) e emblema de um povo.

Amazônia Brasil Rádio Web ao vivo!
Em 2019 o Museu inaugurou cinco espaços, entre estes, um espaço multimídia gratuito ao público.  Visando gerar uma nova ambientação estética ao local, foi feito o convite ao Centro Portinari que mediasse as intervenções artísticas. Para pintar a obra de 18 metros de extensão, os estudantes do Curso de Ilustrador se envolveram em 02 meses de oficina de ilustração mural onde puderam criar e executar artes trazendo a cultura afro-indígena e o protagonismo da mulher negra, na composição e realização.
“Entrei no Centro Portinari com o objetivo de aprimorar minhas técnicas, pois já desenhava. Ao longo do curso a professora entrou com esse projeto de pintura no Sacaca. Foi muito gratificante pra mim, porque eu nunca havia pintado num muro, foi uma experiência bem legal. É bem diferente a textura e pinceladas. A minha marabaixeira foi inspirada nas orixás africanas”. (Leiliane Lopes, estudante)
A coordenação geral do projeto, entre oficina e curadoria, foi pela artista e professora do Centro Portinari, Jenifer Nunes: “Para além da estética, a relevância deste mural é política ao reafirmar a cosmovisão dos povos afro-indígenas/ribeirinhos no museu mais ativo da cidade, num período histórico em que é crescente os casos de intolerância religiosa, expressão do profundo racismo presente na sociedade brasileira. E isto foi debatido com os estudantes”.
Segundo ela relata, a obra “Encantados na Cobra Coral” teve por dispositivo mixar tecnologia com ancestralidade amazônida e o patrono do Museu. Igum D’Jorge, ilustrador e estudante do curso técnico do Centro Portinari, foi quem pintou o Mestre Sacaca: “ele que em vida foi o Rei Momo do carnaval, dessa vez seria um rei na natureza, os fones de ouvido representando suas atividades na rádio e conexão com o resto do mundo”.
O projeto de criação coletiva foi a primeira experiência mural de todos os estudantes do Curso de Ilustrador, pessoas em sua maioria afros e moradores de bairros periféricos. “A pintura interna foi realizada por quatro sagazes mulheres negras; na área externa os tons das peles foram propositalmente bem escuros”, finaliza a professora.
Pegando o gancho do protagonismo da mulher nas Artes, o Centro Cândido Portinari realizará nos dias 18 e 19 de dezembro sua tradicional Mostra de Artes, com obras dos estudantes e pela primeira vez terá como artista homenageada a pintora amapaense Irê Peixe, com exposição de suas obras e lançamento de livreto sobre sua carreira. Venham prestigiar!
Serviço:
O QUE? “Encantados na Cobra Coral” – muralismo contemporâneo
ONDE? Espaço multimídia do Museu Sacaca, Av. Feliciano Coelho.
QUANDO? Terça à domingo, 9h às 18h.
QUANTO? Gratuito
Texto e fotos: Jenifer Nunes

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.