AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Operação Amapá: Práticos conduzem navio da Marinha que transportou oficiais médicos para o estado

O Navio Doca Multipropósito NDM Bahia atracou nesta quarta-feira, 11, no porto da Companhia Docas de Santana (CDSA) para cumprir missão da Operação Amapá, que coordena as ações das Forças Armadas no apoio ao estado, que sofre as conseqüências da explosão e do incêndio do gerador de energia TR1, no dia 3 de novembro. A navegação foi realizada em segurança pela praticagem, parceira da operação. Os práticos conduziram a entrada do navio pela Barra Norte do Rio Amazonas, preservando o meio ambiente durante toda a navegação até o fundeio e a atracação.

O NDM Bahia trouxe 30 profissionais da área médica para atendimento de vítimas da COVID-19, cuja contaminação foi agravada com a falta de energia que atinge 13 dos 16 municípios amapaenses. A falta de energia, em paralelo à escassez de água, tem contribuído para o aumento de casos e agravamento dos enfermos. Os profissionais, oficiais da Marinha do Brasil, estarão em atendimento no município de Santana até o dia 21 de novembro.

Operação Amapá

Orgãos Estaduais e Federais formam a força tarefa criada para montar e executar estratégias que amenizem os problemas ocasionados pelo apagão. Além da falta de energia e água, os amapaenses sofrem com o aumento de casos de vítimas do coronavírus e têm dificuldades para adquirir gelo, água potável, combustível, velas, alimentos e produtos que tiveram o preço inflacionado nos municípios que passam pelo racionamento de energia, onde não há gerador de luz para venda ou aluguel.

O Ministério da Defesa se mobilizou por meio da Operação Amapá, que administra o trabalho das Forças Armadas que dá apoio logístico da Marinha, do Exército e da Aeronáutica. Aeronaves da Força Aérea Brasileira transportaram equipamentos para reativação da energia. O Exército, por meio do Comando Militar do Norte – 22ª Brigada de Infantaria de Selva, dispôs de 360 militares e 12 viaturas para fornecer combustível para hospitais e distribuir água e alimentos. E a Marinha disponibilizou o Navio-Auxiliar (NA) Pará (U15), o Navio Patrulha (NPa) Guanabara (P48) e o NDM Bahia (G40). Toneladas de cargas e equipamentos para reativação da energia, purificadores, geradores de energia, alimentos, água e profissionais foram transportados na operação.

O navio pertence à Marinha do Brasil desde 2015, tem 168 metros e é projetado para transportar tropas, veículos, helicópteros e munição. Além disso, conta com complexo hospitalar para atendimento médico-odontológico. É a primeira vez que vem ao Amapá. A manobra foi realizada sem custo para a Marinha do Brasil.

Texto e foto: Mariléia Maciel

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: