AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Vacinação deve começar na quarta-feira de forma simultânea em todo o país se Anvisa aprovar imunizantes, diz Pazuello

Reunião para agência decidir sobre uso emergencial de imunizantes de Oxford/AstraZeneca está marcada para domingo

Débora Cademartori

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informou para um grupo de prefeitos de todo o país na manhã desta quinta-feira (14) que o início da vacinação contra o coronavírus vai ocorrer de forma simultânea a partir das 10h da próxima quarta-feira (20).

Pazuello apresentou um cronograma para os integrantes da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) e apontou que, se aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), as vacinas já começam a chegar aos Estados a partir de segunda-feira (18). Só depois que todos os entes estiverem abastecidos é que o ministério dará a largada para a campanha. Até o início da tarde desta quinta-feira, a pasta não havia confirmado essa informação oficialmente à imprensa”.

Veja também:
Maratona Enem: canal e redes sociais da TV Brasil exibirão aulões preparatórios
Enem: candidatos com sintomas de Covid-19 deverão solicitar reaplicação da prova
Variedade de frutas contribui para hidratação e alimentação saudável

A Anvisa vem informando que decidirá sobre a autorização para uso emergencial das vacinas de Oxford e CoronaVac no domingo (17), mas Pazuello informou que essa decisão pode ser dada já no sábado (16), de forma a antecipar o envio das doses para todas as capitais do Brasil. Questionada, a Anvisa disse que a decisão está marcada para domingo e que não há chance de antecipar o encontro.

O calendário apresentado pelo ministro a prefeitos inclui um evento no Palácio do Planalto na terça-feira (19) para marcar o início da campanha de vacinação. Um dia depois, na quarta-feira, deve ser iniciada oficialmente a campanha de imunização. No Rio Grande do Sul, entre 200 mil e 300 mil doses devem chegar entre segunda (18) e terça-feira (19). A distribuição ocorre proporcionalmente de acordo com a população em grupo de risco de cada Estado.

Veja mais no site Gauchazh

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: