SOS Bailique: Prefeitura já distribuiu mais de 10 mil fardos de água mineral em ação humanitária

A Prefeitura de Macapá, em ação conjunta das secretarias de Mobilização e Participação Popular (Semopp) e Secretaria de Assistência Social (Semas), já distribuiu mais de 10 mil fardos com água mineral às famílias residentes no arquipélago do Bailique, distrito totalmente afetado pela crise da água salgada.

O avanço do oceano Atlântico sobre o rio Amazonas tornou-se um verdadeiro problema para os moradores do distrito localizado a 180 km da capital Macapá, onde a água doce, agora salgada, está totalmente imprópria para o consumo humano. O fenômeno ocorre sempre no segundo semestre e de acordo com os moradores, a cada ano que passa fica mais intenso.

“Antes não era assim. De uns anos pra cá chegou este problema e não podemos usar a água salgada para quase nada. Isso é uma dificuldade muito grande pra nós, e fica pior a cada ano que passa”, diz o pescador Agnaldo Ferreira, de 42 anos, que mora na comunidade da Freguesia.

No dia 14 de outubro, a Prefeitura iniciou as estratégias de enfrentamento a esta crise após a assinatura do decreto municipal nº 5.540, que declarou situação de emergência no local. Os mais de 12 mil fardos de água já enviados foram adquiridos com recursos do Fundo Municipal de Assistência Social.

A região norte foi a primeira a ser abastecida com os pacotes de água mineral. Foram as comunidades Bom Amigo, Igarapé Grande, São Pedro do Bailique, Igaçaba, Capinal 2, Papagaio, Bom Sossego, Campos do Jordão, Equador, Maranata, Boa Esperança, Arraiol, Livramento, Freguesia e outros.

Já na zona sul do arquipélago, as comunidades de Andiroba, Carneiro, São Pedro, Maúba, Mupéua, Igarapé Baiano e Porto Fábrica também foram atendidas.

Além dos pacotes de água, que são destinados a todas as famílias afetadas pela água salgada, foram entregues 150 cestas básicas a famílias em vulnerabilidade socioeconômica.

Além das secretarias de Mobilização e Assistência Social, para o abastecimento das comunidades, permanecem em atividade ininterrupta as equipes enviadas também pelas secretarias municipais de Comunicação, Direitos Humanos, Zeladoria Urbana, Defesa Civil e Guarda Civil Municipal.

Água potável para todos

“Às vezes nos aventuramos de barco para longe à procura de água doce para as nossas necessidades”, disse Maria Benedita, de 44 anos, moradora da comunidade Marinheiro de Fora.

Ela afirma que os 15 pacotes de água mineral entregues irão ser utilizados para consumo próprio e preparo de alimentos em casa.

“Vamos utilizar somente para beber e cozinhar. Só de ter recebido esta quantidade de água já ficamos mais tranquilos e com gratidão por todo o esforço em chegar em cada família a água, mesmo com toda essa dificuldade”, disse a dona de casa.

Maria Joana Amoras é a moradora mais antiga do local. Com 105 anos de idade, ela explica como era a vida antes da água salgada.

“A vida era normal e podíamos fazer tudo com a água do rio, que era tratada e utilizada nos afazeres de casa. Hoje, nem isso mais a gente consegue. As crianças e toda a comunidade estão com problemas de saúde, adoecendo aos poucos”.

A idosa afirma que a força-tarefa da Prefeitura foi uma iniciativa extremamente necessária, já que a população estava pedindo socorro.

“Todos se mexeram para chegar até nós porque sabem da realidade difícil que o povo daqui está vivendo. A água aqui fica muito mais cara quando todo mundo precisa e nem todos conseguem comprar. Por isso todos aqui agradecem por esse trabalho”, afirmou.

Doações

O cidadão interessado em contribuir com a Prefeitura na ação humanitária SOS Bailique poderá doar água mineral na Secretaria de Mobilização e Participação Popular (Semopp), localizada no prédio da Prefeitura de Macapá, na avenida FAB. O ponto de coleta funciona 24h.

Por Vithória Barreto

Secretaria Municipal de Assistência Social

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: