Com novo projeto, Escola Pequeno Príncipe ampliará o número de vagas escolares

Obra é executada em novo modelo construtivo e tem previsão de entrega em seis meses.
A nova escola municipal Pequeno Príncipe, no centro de Macapá, vai garantir ao aluno da rede municipal de ensino um ambiente escolar amplo, seguro e com acessibilidade. O novo projeto arquitetônico traz os ambientes pedagógicos e a inclusão social como pontos de partida para a elaboração dos espaços e distribuição dos ambientes socioeducativos.

Anteriormente, a escola possuía nove salas de aula que comportavam pouco mais de 440 alunos matriculados. Neste novo modelo, será otimizado o espaço multiplicando o número de crianças atendidas. A unidade disponibilizará doze salas e com isso aumentará a oferta de vagas, comportando 780 alunos para a educação infantil na rede municipal.  

O novo prédio terá dois andares. A estrutura no primeiro andar contemplará cinco salas de aula, todos os ambientes administrativos, ampla biblioteca, sala multiuso, banheiros, lavanderia, rouparia, vestiários femininos e masculinos, copa para funcionários, cozinha, despensa, jardim e playground. O segundo andar conta com sete salas de aula, área de circulação e banheiros.

Investimento
 A obra é executada através da Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura Urbana (Semob) e está orçada em R $6,8 milhões, recursos oriundos exclusivamente do tesouro municipal. A previsão de entrega é de 6 meses.
A nova escola Pequeno Príncipe faz parte do pacote de ações do programa de governo Probem Educação, que busca garantir direitos fundamentais como a alfabetização. Ao todo, serão seis novas unidades escolares entre creches e escolas municipais que, juntas, irão abrir mais 2.200 vagas para educação. O valor total das obras está estimado em R$ 21 milhões e será custeado com a soma dos recursos de verbas federais, oriundos do programa federal PROINFÂNCIA e contrapartidas do tesouro municipal. Todas essas unidades estão em execução no município.

Modelo Construtivo
Como as obras na área da saúde, a escola Pequeno Príncipe será construída a partir de materiais pré-moldados. Nesse modelo é reduzido o tempo de construção, além de ser utilizado material termoacústico, o que garante isolamento térmico, maior durabilidade e resistência ao fogo. Sua manutenção é mais simples do que a estrutura de paredes em alvenaria.
 O conjunto em estrutura metálica com painéis é mais leve do que concreto, o que torna as fundações mais simples e rápidas de serem executadas. Esse modelo ainda possui garantia de dez anos contra defeitos de fabricação ou construção, que é o dobro da exigência legal, incluindo manutenções anuais durante o mesmo período.  

Narah Pollyne
Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura Urbana

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: