Faculdade lança minigame que simula combate ao mosquito Aedes aegypti

A Estácio decidiu lançar mão da tecnologia para ajudar o Brasil a reduzir os focos de criação do mosquito transmissor da zika, doença que, embora raramente acarrete complicações para seu portador, apresenta indícios de causar microcefalia congênita em fetos. A instituição de ensino pioneira no uso do tablet em sala de aula e de outros recursos tecnológicos voltados para a Educação desenvolveu um conteúdo no formato de minigame, com cenário em terceira dimensão. Ao mesmo tempo que diverte, ensina o internauta a descobrir onde estão os criadouros do mosquito e o que fazer para exterminá-los. No Zika Zero, nome do game, o jogador encontrará latas de lixo abertas, pneus abandonados encharcados, potes de água sem tampa e outras situações que facilitam a procriação do Aedes aegypti. O desafio é mapear tudo que permite que o mosquito se desenvolva e identificar esses focos no menor tempo possível, além de matar alguns mosquitos que aparecem no ambiente do jogo. Ele está disponível gratuitamente em http://estaciocontraoaedes.estacio.br.

“Games têm o poder de ensinar com mais pertinência que qualquer outro método. Desenvolver metodologias para aprimorar ainda mais a aquisição de conhecimento, aliada à tecnologia, faz parte do trabalho diário na nossa EdTech, unidade da Estácio que desenvolve aplicativos, conteúdos interativos, sistemas e novas soluções para o ensino. Criamos o minigame para ser mais uma ferramenta na luta contra a zika. Nosso desejo é aumentar a conscientização do jogador para o problema de saúde pública e fazê-lo repetir, na vida real, o que foi simulado no ambiente virtual do jogo”, explicou o diretor de suporte ao ensino, Roberto Paes.

O lançamento do minigame faz parte de uma grande campanha nacional liderada pela Estácio para ajudar no combate ao mosquito transmissor também da dengue, febre amarela e chikungunya. Mais de 500 mil alunos, 9 mil professores e 5 mil funcionários estão participando de uma série de atividades realizadas ao longo deste mês nos mais de 90 campi da instituição de ensino espalhados pelo país. No primeiro dia de aula dos calouros, o trote solidário – tradição da Estácio – extrapolou os muros dos campi, levando informação e mudança de comportamento a locais públicos e sinais de trânsito de todo o Brasil. Veteranos e calouros distribuíram folhetos com dicas de combate e prevenção contra o Aedes aegypti.

Em Macapá, os calouros, já engajados na campanha, distribuíram panfletos explicativos e orientaram a comunidade a fazer o dever de casa, eliminando os possíveis criadouros do mosquito, a ação aconteceu na Avenida Mário Cruz, ao lado do Teatro das Bacabeiras.

Diani Correa

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.