Educa

Roraima é declarado zona livre de febre aftosa

Com a determinação, os produtores do estado poderão vender carne bovina para as demais unidades da Federação

O estado de Roraima foi declarado zona livre de febre aftosa com vacinação pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Nesta terça-feira (25), o órgão divulgou a instrução normativa sobre a medida em solenidade em Brasília.

Com a determinação, os produtores do estado poderão vender carne bovina para as demais unidades da Federação, exceto para Santa Catarina, que é área livre da doença sem imunização.

O próximo passo é submeter o reconhecimento do governo federal à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), a fim que de Roraima possa vender também para o mercado externo.

“É um esforço de muito anos que está sendo reconhecido hoje com a assinatura da instrução normativa”, afirmou o ministro da pasta, Blairo Maggi. “O reconhecimento de Roraima, como livre de aftosa com vacinação, é resultado de compromisso assumido pelo setor privado, com apoio do Ministério da Agricultura e do governo estadual”, acrescentou Guilherme Marques, diretor do Departamento de Saúde Animal (DSA) do Mapa.

De acordo com o diretor do DSA, o ministério deve encaminhar, dia 8 de setembro, pedido de Roraima para ter o reconhecimento internacional da OIE como zona livre de aftosa com vacinação. A decisão da Organização Mundial de Saúde Animal sobre o status sanitário do estado, que tem rebanho bovino de 784,1 mil cabeças, deve ser anunciada em maio de 2018.

Mais estados

A expectativa do Mapa é que o Amazonas e o Amapá também venham a ser declarados nacionalmente como livres da doença com vacinação. Os dois estados são os únicos ainda sem esse status.

Caso ambos consigam o reconhecimento do Mapa e da OIE, o Brasil terá todo o território livre de aftosa – 26 unidades da Federação com vacinação e Santa Catarina sem vacinação. O rebanho bovino brasileiro é de cerca de 220 milhões de cabeças.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Mapa.

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: