Cosmopolita e moderna, Toronto é destino que agrada vários públicos

O turismo na cidade bateu recorde no ano passado, com 43,7 milhões de visitantes

Edilson Segundo

Nenhuma cidade no mundo tem mais apelidos que Toronto. “The six”, “416”, “Tdot”, “YYZ” e “Drake” são os mais conhecidos pela população local. Não foi à toa que um dos cantores mais famosos da atualidade adotou um deles como nome artístico. O ex-namorado de Rihana, Aubrey Graham, o Drake, nasceu em Toronto e se tornou um dos grandes ídolos do país. Outra curiosidade é que o ano de 2017 foi especial para o Canadá. O país completou 150 anos de confederação. E por isso, o grande centro financeiro de lá, Toronto, investiu pesado em hotéis de luxo, alta gastronomia e roteiros de arte. E obteve resultado. O turismo na cidade bateu um recorde no ano passado, com 43,7 milhões de visitantes para a região, de acordo com o Tourism Toronto. O destino já foi apontado diversas vezes como um dos melhores lugares do mundo para se viver.

A capital da província de Ontário tem 2,8 milhões de habitantes. Mais de 50% dessa população nasceram fora do país, o que pode ser comprovado passeando pelas ruas. Orientais, sul-americanos, indianos e portugueses são vistos aos montes. Uma mistura que faz de Toronto uma cidade única e encantadora. Grande parte trabalha em restaurantes ou é proprietária de um. Por isso, a culinária canadense ganhou tantos temperos internacionais.

Para quem vai visitar a cidade é imperdível o passeio na região de Kensington Market, uma espécie de mercado a céu aberto onde 86 países estão representados por restaurantes. O tradicional sanduíche de carne defumada é encontrado neste local, na casa Caplansky’s, uma das delicatessens familiares mais famosas da localidade. Com estilo retrô, o restaurante é especializado em sanduíches recheados com bacon de carne de vaca, diferente daquele de carne de porco. Além disso, a variedade de mostardas também chama atenção, cada uma mais picante que a outra. O lanche custa, em média, R$ 23. Andando pelas ruas desta região dá até para comprar coxinha de frango e pastel de queijo, numa referência ao Brasil.

Você já provou pipoca gourmet? No Kensington Market tem. Na Toronto Popcorn são oferecidos 45 sabores. Tem para todos os gostos. Doce e salgada. Delícias a perder de vista. Maçã verde, churros, caramelo com sal marinho, cereja, toffee, etc. E o mais legal é que antes de comprar, o cliente pode experimentar qualquer sabor e escolher aquele que mais agradou. Os preços dos pacotes variam de R$ 10 a R$ 125.

Saindo da região central de Toronto, vamos caminhar pelo bairro mais antigo da cidade, o Distillery District. Neste local já funcionou a maior destilaria de uísque do mundo, de 1880. Produziu bebidas por 110 anos até que fechou as portas em 1990. Depois disso, toda a estrutura foi abandonada e tornou-se uma área perigosa, refúgio de dependentes químicos. Em 2002 houve grande investimento no espaço, que acabou transformando a paisagem. O ponto turístico de hoje nem se parece com o retrato de descaso do passado. São 40 lojas, restaurantes, cafeterias e mercados abertos ao público. Pode-se encontrar de tudo lá: roupas, comidas, souvenirs, galerias de arte, cafés e joalherias.

Toronto tem a cara de uma Nova York, só que em tamanho reduzido. Apesar de ser a maior cidade do país, com quase três milhões de habitantes, não tem aquele trânsito caótico nem o empurra-empurra de gente nas ruas, como na Big Apple. Até nos pontos turísticos elas são parecidas. Enquanto NY tem a Times Square, na cidade canadense há a Dundas Square. Cheia de luminosos coloridos e turistas andando de um lado para o outro com sacolas de compras e apontando câmeras e celulares para fazer foto, o local reúne shoppings centers e lojas de grife. É um passeio que vale a pena fazer, principalmente àqueles apaixonados por compras.

Veja mais no Diário de Pernambuco

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.