Seis dicas para fazer uma viagem de luxo gastando pouco dinheiro

Educa

Confira algumas dicas do digital influencer Gabriel Veronese, viajante experiente que já percorreu diversos países

Para fazer a viagem de seus sonhos, hospedando-se nos melhores hotéis e aproveitando, as melhores experiências que cada destino oferece não precisa ser sinônimo de acumular dívidas para o resto da vida. Mas como ter uma viagem de luxo pagando pouco?

O digital influencer Gabriel Veronese é um viajante experiente e já percorreu diversos países. Em seu perfil no Instagram, ele combina moda, beleza e incríveis paisagens dos mais variados destinos, desde a beleza dos balões na Capadócia, na Turquia às praias tropicais do Caribe ou as baixas temperaturas da fria cidade de Moscou, na Rússia: “Costumo investir bastante nas minhas viagens, de 10 a 20 mil por destino, dependendo de alguns fatores. Mas é possível sim, fazer uma viagem de luxo gastando muito menos. Com alguns truques é possível reduzir em mais de 50% o orçamento, sem abrir mão de conforto e exclusividade”.

Gabriel Veronese traz 6 dicas para fazer uma viagem de luxo gastando pouco. Confira:

1- Escolha destinos com melhores preços

É possível ter acesso a experiências de luxo em praticamente o mundo todo, mas alguns destinos são, naturalmente, mais baratos do que outros. Os hotéis de luxo da China, Tailândia, Camboja e Vietnã, tem em médio preço das diárias 25% mais baixos do que em Paris, por exemplo.

Até mesmo na Europa é possível sentir essa diferença de um país para outro em relação a hospedagem cinco estrelas. Os preços médios de uma suite de luxo em Lisboa, Berlim e Budapeste estão entre os menores da Europa, com diárias em torno de R$ 500. Valor bem diferente do praticado em hotéis do mesmo patamar em Milão, na Itália, por exemplo, onde a média é de R$ 1.345.

2- Saiba aproveitar a baixa temporada

A lei da oferta e da procura é a responsável pelas altas tarifas de hotéis e passagens aéreas na época mais procurada do ano, que são as altas temporadas. Mas ela também vale para os períodos em que os destinos ficam mais vazios, com sensível redução nos preços.

Por isso, pesquise bem antes de escolher para onde ir, e fique atento às vantagens e desvantagens do clima e do comércio local na época, para que o barato não saia caro. Ir para a Índia em julho, por exemplo, quando o calor chega a 40ºC, pode atrapalhar muitos passeios, mas os hoteleiros quase pagam para você se hospedar nessa época.

Veja mais no Notícias ao Minuto

Amazônia Brasil Rádio Web ao vivo!

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.