Ator Mateus Solano participa de live sobre enfrentamento ao coronavírus na Amazônia

Sem acesso à informação, infraestrutura básica e assistência médica, as comunidades periféricas de centros urbanos, bem como populações tradicionais e comunidades indígenas que moram em locais remotos, enfrentam quase sozinhas o avanço da pandemia do novo coronavírus. Com a proposta de dar visibilidade à causa e disseminar informações sobre a situação de vulnerabilidade dessas populações, a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) tem buscado articulação com diversos artistas engajados com pautas sociais e ambientais.

Entre eles, o ator Mateus Solano, uma das lideranças da ONU Meio Ambiente, que participará de uma live no Instagram, neste domingo (17), em parceria com a coordenadora da Agenda Cidades Sustentáveis da FAS, Paula Gabriel, para falar sobre as ações de enfrentamento ao coronavírus na Amazônia. A transmissão ocorrerá às 10h (Manaus), nos perfis @fasamazonas e @mateussolanooficial.

“A situação atual da Covid-19 está fazendo com que a humanidade tenha que se reinventar. E, no caso da Amazônia, das comunidades indígenas e tradicionais, já são localidades que infelizmente no Brasil, em várias temáticas, são deixadas para trás. Organizações como a FAS e os 57 parceiros desta aliança que está sendo formada para o combate ao coronavírus são essenciais para que possamos fazer com que vidas sejam salvas, distâncias sejam diminuídas, e que menos pessoas sejam contaminadas e mortas pela Covid-19. O envolvimento do ator e ativista ambiental, Mateus Solano, nessa live é importantíssima para que não só o Brasil, mas o mundo todo entenda a gravidade do problema. A ideia é que a gente possa espalhar essa notícia e ressaltar que qualquer valor que as pessoas possam doar vai ajudar a salvar vidas”, afirma Paula Gabriel.

A FAS também reuniu a atriz Christiane Torloni e a cantora amazonense Marcia Novo em uma live pela Amazônia, realizada em abril. Outra artista de renome nacional a apoiar a iniciativa é a atriz Leticia Spiller, que publicou um vídeo nas redes sociais pedindo doações para a campanha e destacando a importância de proteger os povos que cuidam da floresta.

Aliança pela Amazônia

A realização de lives nas redes sociais com a mobilização de artistas é uma das ações da “Aliança dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais e Organizações Parceiras do Amazonas para o Enfrentamento do Coronavírus”.

A iniciativa coordenada pela FAS, com o envolvimento de 57 instituições públicas e da sociedade civil, está disseminando e estimulando a adoção de boas práticas para reduzir os riscos de contágio, oferecendo produtos básicos para 19 mil famílias em áreas rurais e urbanas e estabelecendo condições mínimas de atendimento remoto e transporte de pacientes graves.

“Os povos indígenas e populações tradicionais da Amazônia são os mais vulneráveis e provavelmente sofrerão as piores consequências da pandemia. A Aliança é uma iniciativa que envolve 57 parceiros e busca conectar doadores com fazedores, com ênfase para ações práticas e concretas”, destaca o superintendente geral da FAS, Virgílio Viana.

O número de indígenas confirmados com o novo coronavírus no Amazonas subiu para 154, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), no último sábado (9). No Estado, 12 indígenas já morreram após contrair a Covid-19.

 

Ações em periferias

A prioridade da Aliança é atender as demandas de populações tradicionais e povos indígenas que se situam em locais distantes. Porém, o projeto também prevê uma agenda urbana para ajudar indígenas que moram na cidade, pessoas em situação de rua, imigrantes e refugiados, e famílias que vivem na periferia.

Pensando nesse público, o Grupo Bemol e a Singulari Consultoria juntaram forças e realizaram, nesta semana, a doação de R$ 100 mil para o trabalho de combate ao coronavírus em bairros periféricos de Manaus coordenado pela FAS. A ação está sendo liderada por um grupo com cerca de 30 pessoas membros da FAS, Virada Sustentável Manaus, voluntários que fazem parte do Conselho Criativo da Virada e parceiros.

“Além da ajuda imediata aos que têm fome, a mobilização também apoia pequenos empreendedores que trabalham com costura, arte, delivery e alimentação”, explica Paula Gabriel.

As ações foram divididas em duas frentes. A primeira, intitulada “Cestas do Bem”, incluiu a doação de cestas básicas, kits de limpeza e higiene para mais de 300 famílias de 14 bairros, sendo eles, Comunidade Monte Ararate (Cidade Nova), Comunidade Sharp (Armando mendes), Coroado, Aleixo, Invasão Águas Claras, Jorge Teixeira, Mutirão, Monte das Oliveiras, Novo Aleixo, São José, São Geraldo e São Jorge, bem como para três iniciativas sociais, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), Banho do Bem e Hermanitos.

A segunda frente visa fortalecer e incentivar o empreendedorismo local, através de medidas como a contratação de 10 grupos de costureiras locais para produção de 7,5 mil máscaras, que serão destinadas para o Hospital Instituto da Mulher, em Manaus, para os bairros e iniciativas beneficiadas pelo projeto “Cestas do Bem”, para os cemitérios por meio Secretaria Municipal de Limpeza e Serviços Públicos (SEMULSP) e para o Parque das Tribos e Comunidades Indígenas Urbanas.

Além disso, para levar alegria para as casas das pessoas durante o período de isolamento social, diversos artistas gravaram vídeos mostrando seus talentos em forma de canções, poesias, histórias, origamis e dicas, que serão transmitidos em asilos, abrigos e no canal do YouTube da FAS.

Com a ajuda do coletivo Pedala Manaus, ainda serão mapeados trabalhadores que atuam com bike delivery para a realização de manutenção e ajustes em suas bicicletas e, com os empreendedores da área da alimentação, será feita a compra dos insumos para a produção dos pratos.

Como ajudar a Aliança

Há várias formas de ajudar a “Aliança dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais e Organizações Parceiras do Amazonas para o Enfrentamento do Coronavírus”. Pessoas físicas podem fazer doações online através do site www.fas-amazonas.org, e pessoas jurídicas podem entrar em contato pelo e-mail [email protected]. Esses apoios podem ser de qualquer espécie, financeiro ou material.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: