Estado do Amazonas é o mais acometido pela Ascaridíase

Confira a entrevista completa no player acima.

Nesta sexta-feira (28), oTarde Nacional – Amazônia trouxe a doutora Alda Maria da Cruz, especialista em parasitoses intestinais e chefe do Laboratório Interdisciplinar de Pesquisas Médicas do Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz). A médica explicou sobre a doença Ascaridíase, e seus sintomas, causas e tratamentos, assim como instruções e cuidados para prevenção da contaminação.

De acordo com ela, a ascaridíase é uma infecção causada pelo parasita Ascaris lumbricoides, popularmente conhecido como lombriga, e seus sintomas são desconforto abdominal e gastrointestinais. A doença também influencia em problemas cognitivos em crianças, como dificuldade de concentração, aprendizado e irritação. Em casos mais graves podem causar oclusão no intestino.

No Brasil, o estado do Amazonas é o que tem mais casos de infecções. Segundo inquérito Nacional, onde foram selecionados municípios de diferentes estados do país, os estados do norte e nordeste são os que apresentam maior percentual de pessoas infectadas.

“Os dados, e as estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), dão conta de que são mais de 1,5 bilhões de pessoas parasitadas no mundo. O que corresponde a 24% da população mundial”, pontua Alda.

Segundo a pesquisadora, essa infecção é adquirida através da ingestão de ovos do verme, que são invisíveis a olho nu. Estes amadurecem na terra, a partir do depósito no solo através das fezes da pessoa parasitada, que em vezes dejeta as necessidades no chão pela falta de esgotamento sanitário. No terreno os ovos vão amadurecendo, formando uma larva, a partir disso os ovos podem ser carregados pela poeira, e levadas até os alimentos. Quando ingeridos esses alimentos, a larva se desenvolve e transforma-se em verme adulto. No caso da lombriga, tem em média 15 cm.

EBC

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: