Covid-19: estudo mostra sintomas de longo prazo em pacientes

Sintomas foram encontrados em 37% dos pacientes após doença

Pelo menos um sintoma de covid-19 de longo prazo foi encontrado em 37% dos pacientes de três a seis meses depois da infecção pelo novo coronavírus, mostrou um estudo amplo da Universidade de Oxford e do Instituto Nacional de Pesquisas de Saúde nesta quarta-feira (29).

Entre os sintomas mais comuns estão problemas respiratórios, fadiga, dor e ansiedade, disse a Universidade de Oxford depois de investigar sintomas em mais de 270 mil pessoas que se recuperam da doença.

Os sintomas se revelaram mais frequentes em pessoas que foram hospitalizadas e ligeiramente mais comuns entre mulheres, de acordo com a pesquisa.

Veja também:
Livro aponta caminhos para a promoção da inclusão escolar igualitária
Feira para segmento Pet acontece no Sebrae
Capes lança edital para projetos sobre impactos da pandemia

Ele não revelou causas detalhadas, gravidade ou duração dos sintomas da covid longa, mas indicou que pessoas mais velhas e homens tiveram mais dificuldades respiratórias e problemas cognitivos, enquanto jovens e mulheres tiveram mais dores de cabeças, sintomas abdominais e ansiedade ou depressão.

“Precisamos identificar os mecanismos subjacentes aos diversos sintomas que podem afetar os sobreviventes”, disse Paul Harrison, professor da Universidade de Oxford que comandou o estudo.

“Essa informação será essencial se for para evitar ou tratar eficazmente as consequências de saúde de longo prazo da covid-19”, acrescentou.

Reuters

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: