Semana Lixo Zero quer incentivar práticas sustentáveis no país

Brasileiros descartam 79 milhões de toneladas de lixo sólido por ano

Para incentivar as pessoas a adotarem práticas sustentáveis como usar sacolas ecológicas, reaproveitar materiais recicláveis e também usar a composteira – uma estrutura onde se coloca material orgânico para ser transformado em adubo – tem início hoje (22) a Semana Lixo Zero.

Capitais como São Luís e Cuiabá e municípios como Santa Maria, no Rio Grande do Sul, fazem parte dessa iniciativa. No Distrito Federal, as ações serão realizadas pelo Instituto Federal de Brasília (IFB) com palestras e oficinas que mostram soluções para o lixo doméstico.

Os brasileiros descartam 79 milhões de toneladas de lixo sólido por ano, segundo pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública de Resíduos Especiais (Abrelpe), em 2019.

Veja também:
Tecnologia: inscrições para cursos gratuitos do Google terminam nessa sexta (22/10)
Sine oferta vagas de emprego em Macapá para quase 40 funções em 22 de outubro
Vacina de reforço tem eficácia de 95,6%, diz Pfizer-BioNTech

A engenheira sanitarista ambiental Paula Moletta, moradora da capital gaúcha, Porto Alegre, e embaixadora do Lixo Zero, explica que, para colaborar com a causa, é preciso diminuir o envio de todo esse lixo para lugares inadequados, o que prejudica o meio ambiente. Ela diz que separar o que pode ser reciclado descartando nos dias da coleta seletiva é um bom começo.

“Eu sei que a minha coleta passa segunda, quarta e sexta para pegar o resíduo reciclável e levar para as cooperativas. Eu, como cidadã, separo meu resíduo reciclável e no dia que o caminhão passa na minha casa eu coloco pra coleta seletiva. Começar por aí, saber o que eles recolhem, por exemplo. Eu acho que o caminho é esse.”

As iniciativas vão até o dia 31 de outubro e podem ser conferidas na internet.

A mobilização é realizada pelo Instituto Lixo Zero Brasil, uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos.

EBC

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: