Pelo terceiro ano consecutivo, CVV busca mobilização popular pela prevenção do suicídio

Cristo Redentor, Congresso Nacional, Estádio Beira Rio e Paço Municipal de Fortaleza foram alguns dos pontos iluminados pelo Setembro Amarelo em 2015

Todos os dias pelo menos 32 brasileiros tiram a própria vida, resultado da falta de prevenção que poderia ter poupado pelo menos 28 dessas pessoas. São dados do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS) que causam espanto, mas retratam uma realidade de tabus e mitos.

Há diversos esforços para levar conscientização sobre esse problema de saúde pública que é o suicídio. Somente por esse caminho com esclarecimento e o estímulo às pessoas falarem abertamente sobre a questão, é possível reduzir essas tristes estatísticas. Um marco importante foi a definição de 10 de setembro como o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, quando profissionais de saúde, população e movimentos organizados pela vida se movimentam pela causa.

Desde 2011, o CVV, instituição filantrópica que se dedica à prevenção do suicídio e apoio emocional há 54 anos, organiza nessa época do ano um simpósio internacional para discutir as melhores práticas para reduzir os índices de suicídio. Evento gratuito e aberto ao público, o simpósio foi realizado em Guarulhos, São Paulo, Florianópolis, Brasília, Rio de Janeiro e, neste ano, será abrigado em Fortaleza, capital do Ceará.

No crescente dessas iniciativas públicas, o CVV busca a mobilização popular pelo terceiro ano consecutivo para a realização do Setembro Amarelo. Na mesma lógica do Outubro Rosa e Novembro Azul, o objetivo é chamar a atenção das pessoas à problemática do suicídio e estimular a conversa sobre a questão. Carlos Correia, voluntário do CVV, comenta que hoje fala-se sobre DSTs, câncer e outras questões que matavam muito mais no passado. “Essa abertura das pessoas ao assunto foi essencial à redução dos índices de mortalidade por AIDS, câncer de mama e próstata, por exemplo. Esse é um de nossos sonhos: ver famílias tratando do assunto com naturalidade, escolas levantando o debate, colegas de trabalho oferecendo apoio ao identificar alguém com sinais de que pensa em se matar”, comenta o voluntário.

Em 2015, o Setembro Amarelo conseguiu iluminar pontos turísticos e de destaque em todas as regiões do país, como o Cristo Redentor no Rio de Janeiro, o Congresso Nacional e a Ponte Juscelino Kubitschek em Brasília, o e outros. Houve também um grande número de caminhadas, passeios de motos e outras intervenções em locais públicos com a mesma finalidade.

Carlos destaca que o grande desafio é ter mais locais iluminados e ações de rua do que no ano passado. “Para isso precisamos ter adesão de prefeituras, clubes, condomínios comerciais e residenciais e qualquer outra organização que queira se engajar na causa da prevenção do suicídio”, complementa.

Como ajudar

Para colaborar, qualquer pessoa pode iluminar ou identificar a fachada de uma casa ou prédio, promover passeio de motos, bicicletas, com balões, fitas ou panos amarelos, caminhadas com camisetas amarelas ou outras ações que impactem a população. Todos que mandarem fotos de suas iniciativas para o email setembroamarelo poderão ver o material compartilhado na fanpage do Facebook. do CVV (https://www.facebook.com/cvv141) ou (https://www.facebook.com/setembroamarelo).

Sobre o CVV

O CVV – Centro de Valorização da Vida, fundado em São Paulo em 1962, é uma associação civil sem fins lucrativos, filantrópica, reconhecida como de Utilidade Pública Federal em 1973. Presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. Os mais de um milhão de atendimentos anuais são realizados por 2.000 voluntários em 18 estados mais o Distrito Federal, pelo telefone 141 (24 horas), pessoalmente (nos 72 postos de atendimento) ou pelo site www.cvv.org.br via chat, VoIP (Skype) e e-mail. Desde setembro de 2015 realiza o atendimento pelo telefone 188, primeiro número sem custo de ligação para prevenção do suicídio, nesse primeiro momento exclusivamente no estado do RS.

É associado ao Befrienders Worldwide (www.befrienders.org), entidade que congrega as instituições congêneres de todo o mundo e participou da força tarefa que elaborou a Política Nacional de Prevenção do Suicídio do Ministério da Saúde.

Jane Borges

Cordenadora de Divulgação CVV/AP

 

Clique aqui e Inscreva-se agora!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: