SENAI faz cooperação internacional na Guiana Francesa

Em acordo assinado com o governo francês, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Amapá (SENAI-AP) qualificará trabalhadores em panificação. A carreta entrará de forma facilitada por meio do Ata Carnet, o primeiro documento expedido no estado.

Baguetes, croissants e petit four. Essas iguarias de origem francesa estão na lista do curso de boulangerie do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Amapá (SENAI-AP) que será ministrado a trabalhadores franceses em Caiena, na Guiana Francesa. O curso de 200 horas começa na segunda-feira, 2 de setembro, a partir de uma cooperação internacional entre o SENAI e as instituições francesas Greta-Centre-Est-Guyane, Lycée Melkior Garre e o Pole Emploi. A Guiana Francesa é um departamento ultramarino da França.

“Firmar parceria com a Guiana Francesa para qualificação profissional é dar visibilidade para nossa expertise e demonstra nossa capacidade para apoiar ações internacionais nas áreas de capacitação profissional, aplicação de tecnologias e inovação”, diz o diretor adjunto do SENAI, Sérgio Moreira.

Todo o aprendizado ocorrerá dentro da Unidade Móvel de Panificação do SENAI durante dois meses. Essa unidade é uma carreta de 15 metros de comprimento, climatizada, equipada como se fosse uma grande panificadora, confeitaria e sala de aula, com fornos, home theater, amassadeiras, modeladores e divisores de massa e batedeiras, câmara de fermentação, mesas, cadeiras, e capacidade para 20 alunos. Ela possui rampa de acessibilidade e os equipamentos estão regulamentados dentro da norma de segurança (NR-12).

“Estamos muito satisfeitos em realizar nosso trabalho em território francês. É uma oportunidade ímpar para mostrarmos, na Guiana Francesa, nossa capacidade de ofertar cursos de formação profissional”, diz o instrutor do curso, Everaldo Terceiro, ao se preparar para passar dois meses fora de casa.

ADUANA – A carreta do SENAI saiu de Macapá (AP) em direção a Caiena na segunda-feira (26). Um trecho de 774 quilômetros, que será feito em dois dias, pelas estradas brasileiras e francesas. Ele vai atravessar para o outro lado da fronteira via a ponte do Oiapoque, que foi aberta recentemente, onde passará por inspeção para entrar no território francês.

Apesar da parceria, a carreta será submetida a toda burocracia aduaneira, que só não será maior devido ao Ata Carnet, um documento que reduz a burocracia e simplifica a exportação e a importação temporária de bens, sem pagamento de impostos, desde que o bem retorne ao Brasil. Para essa operação, pela primeira vez um Ata Carnet foi emitido pelo Amapá. A Confederação Nacional da Indústria (CNI) é organização garantidora do Ata Carnet.

A cooperação entre SENAI-AP e as instituições francesas é o início de uma parceria estratégica, inclusive para o governo brasileiro. “A abertura comercial e aduaneira da ponte a partir de maio tem sido muito importante para promover as exportações brasileiras. Nos primeiros 3 meses de funcionamento foram 57 operações de exportação do Brasil para a Guiana Francesa e uma importação da Guiana para o Brasil”, diz cônsul-Geral Adjunta, Christiane Aquino.

Da Agência CNI de Notícias

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.